O que aprendi no Festival Path Eventos

O Festival Path é um evento transformador, são dois dias repletos de informações, possibilidades de networking, conhecimentos compartilhados, música boa e ideias novas!

Assisti inúmeras palestras e refleti bastante sobre todas as informações, mas as principais foram essenciais para me desenvolver não como acadêmica ou empreendedora e sim como ser humano!

Pensar mais na espiritualidade e no autoconhecimento 

A Palestra que mais me marcou foi sobre ecovilas e vida compartilhada. Para mim era inimaginável pensar em morar com “desconhecidos” e foi exatamente por isso que decidi assistir esta palestra. A espiritualidade ajuda a achar novas zonas de conforto e te faz entender que nós podemos escolher quais problemas queremos ter. Numa EcoVila, por exemplo, a convivência é o maior desafio e ao mesmo tempo o maior diferencial, porque uma vida compartilhada é mais leve, desde que todos aprendam a dar e receber feedback. Foi incrível ver e pensar nas possibilidades que existem de relações e moradia. Um conhecimento enorme que com certeza me fará ver a vida de uma maneira mais leve!

Como criar no mundo politicamente correto 

Na questão de conteúdo, a palestra “Como criar no mundo politicamente correto” desconstruiu de uma maneira maravilhosa todos que reclamam do momento atual de constante desconstrução e problematizações que estamos vivendo. Aprendi que o processo não muda, os ingredientes mudam. Ou seja, antes podíamos trabalhar com esteriótipos e simplificar a comunicação, agora não mais, é preciso criar. Construir esteriótipos positivos, olhar para o espaço criativo como um espaço de poder e que é preciso ocupá-lo de uma forma representativa e que dê voz a mais pessoas.

O Consumo irá mudar (mais rápido do que imaginamos)

Na Palestra ” A Moda é ser Consciente “, aprendi a importância da tecnologia para os novos modelos de negócios e principalmente a questão de que toda essa problematização e discussão irá crescer e plantar a semente da consciência. O movimento por uma moda mais justa e consciente, que repensa como fazer uma peça circular e durar mais tempo está crescendo e nos enche de esperança por saber que o consumo na realidade, já está mudando e a mudança começa por nós!

 

Sobre o meu look: Blazer Dzarm , saia de veludo do evento Eu Trocaria durante o Fashion Revolution Day, blusa de uma confecção de Itanhaém e bota de veludo das Pernambucanas! 

Espero que tenham gostado e que ano que vem possamos nos ver novamente no Festival Path!

 


Fundadora do Entenda de Moda, estudante de Relações Internacionais, faz parte da ONG Ecosurf e mantém viva sua paixão e conhecimento sobre moda todos os dias, defendendo que moda e ativismo podem (e DEVEM!) caminhar juntos com muito estilo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *